Pastas de dente, quais são os tipos é a melhor opção?

Hoje comemora-se o dia do Irmão.
5 de setembro de 2017
Hoje comemora a Independência do Brasil
7 de setembro de 2017

🌟 😁 Diante de tantas marcas e cores de pastas de dente, não é fácil saber qual é a melhor opção para nós.
Se você tem problemas como sensibilidade ou gengivite, a pasta certa pode ajudar
Elas obviamente têm como objetivo principal ajudar a limpar os dentes durante a escovação, mas também podem trazer outros diferentes benefícios para a saúde dental.
Quem tem uma boca saudável não deve usar o mesmo tipo de produto que alguém que sofre de gengivite ou sensibilidade nos dentes por exemplo.
Juan Carlos Llodra, professor titular de Odontologia Preventiva e Comunitária da Universidade de Granada e diretor-executivo do Conselho Geral dos Médicos Dentistas da Espanhax, explicou à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, o que deve ser levado em conta ao comprar uma pasta de dente. Confira:
Prevenir as cáries. Se você tem uma boca saudável e quer apenas prevenir cáries, faça a higiene oral com frequência e use uma pasta de dente contendo flúor.
Essa substância ajuda a remineralizar o esmalte dos dentes, fortalecendo-os e removendo a placa, fazendo assim que as bactérias não possam perfurá-lo.
Mas para isso, segundo o especialista, é essencial que a pasta de dente tenha uma quantidade superior a 1 mil partes por milhão (ppm) de fluoreto.
“Cremes dentais que têm pouco flúor, abaixo de 1 mil ppm, são inúteis”, alerta Llodra.
“Dessa forma, escovar os dentes com ou sem esse tipo de pasta de dentes é a mesma coisa”, diz.
Na opinião de Llodra, o mais comum é que o produto tenha concentração de 1500 ppm de fluoreto.
Ele ainda aconselha seus pacientes a não lavar a boca após a escovação, pois a água retira o flúor, reduzindo seu efeito. A recomendação é somente cuspir a pasta de dentes.
Aliviar a sensibilidade. Se você sente dor ao comer alimentos ou ingerir bebidas quentes ou frias, é porque tem sensibilidade nos dentes.
Tal problema pode ser tratado com pastas de dentes específicas.
“A sensibilidade dentária é um sinal de que o esmalte está desgastado”, afirma Llodra.
Ele explica que esse tipo de creme dental contém substâncias que obstruem os poros espalhados pela dentina e que ligam os nervos aos dentes, causando reação às mudanças de temperatura.
Doenças periodontais A gengivite é uma doença oral bacteriana que geralmente provoca inflamação e sangramento nas gengivas.
Segundo Llodra, o paciente precisa de uma ajuda adicional quando esse problema aparece.
Nesses casos, é necessária uma pasta de dentes mais potente, que, além de flúor, contenha algum antisséptico mais potente, como o triclosano.
No entanto, “esses cremes dentais são destinados a tratar um problema específico e não devem ser utilizadas por mais de duas semanas consecutivas.
Se o problema persistir, você deve consultar um dentista”, alerta Llodra.
“Na maioria das vezes, é um problema trivial, de fácil solução, mas há certas doenças graves, como a leucemia, que têm a gengivite como um dos sintomas.”
Dentes mais brancos. Ter dentes brancos está cada vez mais popular. Por isso, muitas pessoas optam por branqueá-los usando pastas de dente específicas.
Mas, aparentemente, elas não são muito eficazes quando usadas sozinhas.
Segundo Llodra, pastas de dente com essa finalidade são recomendadas apenas para complementar o clareamento dental realizado em consultórios odontológicos.
Esse tipo de creme dental, que têm como principais componentes o peróxido de carbamida e o bicarbonato de sódio, facilita também a remoção de manchas causadas pelo café, cigarro e outras substâncias.
Seu uso excessivo pode, entretanto, sensibilizar os dentes.