Ronco e apneia obstrutiva do sono

Dr. Fernando Barbosa da Silva
24 de fevereiro de 2018
Conheça nosso corpo clínico!
2 de março de 2018

O que é ronco e o que é apneia?

Ambos podem ser classificados como distúrbios do sono e ambos estão relacionados com a passagem do ar pelas vias aéreas do sistema respiratório. Durante o sono, o tônus muscular do pescoço e da faringe decresce. Isso causa um estreitamento do espaço faríngeo e o volume de ar necessário precisa ser inspirado a uma velocidade maior, ocorrendo a vibração de tecidos moles como palato mole, úvula, língua e outros. Este é o ronco! A apneia obstrutiva do sono é a interrupção da respiração pelo fechamento da passagem do ar ao nível da garganta. Esse fechamento pode demorar vários segundos e a pessoa só volta a respirar quando um reflexo do organismo consegue reabrir a passagem do ar. Esse dorme e acorda pode se repetir até 300 vezes numa noite!

Como o ronco e a apneia podem ser diagnosticados?

A maneira convencional para o diagnóstico do ronco e da apneia é a observação do sono. Nessa observação são identificadas as características dos distúrbios que são os ruídos altos e os “despertares” recorrentes causados pela apneia que possuem aspecto de falta de ar. Essa observação pode ser feita domesticamente pelos familiares ou por quem durma nas proximidades. Existe também o diagnóstico médico que conta com o exame da polissonografia, que é a monitoração do sono por equipamentos eletrônicos. O exame clínico é indicado para que seja avaliada a condição do trato respiratório do paciente. Esse exame pode ser feito por um dentista ou por um médico, ambos com especialização na área.

Quais são os problemas causados pelo ronco e apneia?

Os problemas causados são vários e na sua maioria comuns, podendo também ser divididos em: individuais, familiares, profissionais e sociais. Esta classificação nos possibilita abranger melhor os diversos incômodos e danos causados pelo ronco e pela apneia obstrutiva do sono. Como problemas individuais podemos citar dor de cabeça ao acordar, arritmia cardíaca, dificuldade de concentração, sonolência diurna excessiva e até mesmo depressão. Como problemas familiares temos incômodo geral, desagregação familiar e desunião ao dormir podendo chegar à separação do casal! Atualmente o ronco e a apneia são reconhecidos como possíveis causadores de problemas cardíacos. O sistema circulatório de uma pessoa que apresenta apneia é cerca de 10 anos mais envelhecido do que de uma pessoa que não apresenta o quadro. Recentes estudos ligam o quadro de morte súbita ao problema da apneia obstrutiva.

Quais são os possíveis tratamentos?

Por ocorrerem no sistema respiratório uma atenção à desobstrução da vias aéreas é fundamental. O Ronco e a Apneia podiam ser tratados com aparelhos para auxílio respiratório ou com intervenção cirúrgica. Os aparelhos são caros e incômodos como o “Continuous positive air pressure” ou CPAP, a cirurgia (uvulopalatofaringoplastia) apresenta índice de sucesso insatisfatório (da ordem de 47%) e deixa sequelas indesejadas em caráter permanente. Atualmente, está disponível o uso de aparelhos intra orais, capazes de índice de eficiência da ordem de 87%, que não apresentam os efeitos indesejados dos métodos anteriores. Os dispositivos intra orais apresentam a melhor relação custo/benefício devido ao alto índice de sucesso e pelo fato de não apresentar sequelas. Eles são individuais e confeccionados por dentistas com conhecimento na área. Os dispositivos intra orais devem ser usados pelo paciente apenas na hora de dormir.